Garrafa Térmica: Como usar?

Ela pode ser uma grande aliada, mas também uma grande vilã. Conheça melhor as suas propriedades e aprenda a conservar a temperatura e o sabor do seu café.


garrafa_termica_internaQueridinha em casa e no trabalho, a garrafa térmica foi criada originalmente pelo físico e químico escocês, James Dewar, em 1890, para armazenar gases liquefeitos que deveriam ser mantidos a baixas temperaturas. Alcançou fama no dia a dia em 1904, quando se iniciou seu uso comercial. A partir daí, passou a abrigar líquidos frios ou quentes, tendo como função conservar a temperatura dessas substâncias.

O equipamento difi culta a troca de calor entre o conteúdo e o meio ambiente: as paredes são duplas e entre elas há vácuo. A transferência dessa energia se dá por: condução (contato), convecção (deslocamento de ar) e radiação (incidência de luz). A construção da garrafa e os materiais isolantes utilizados evitam a propagação de calor de um meio para o outro. No entanto, o sistema pode não ser 100% eficaz e, dependendo da concepção do equipamento, mantém por mais ou menos horas a temperatura dos líquidos nele contidos.

Por aqui o café logo ganhou lugar na térmica que, por sua praticidade, passou a ser levada para todos os cantos. Para manter a qualidade da bebida, no entanto, não basta apenas conservá-la quente. É preciso também garantir as propriedades que se esvaem em contato com a água. Ao mesmo tempo que esta extrai as substâncias do café, também inicia o processo de oxidação, acelerado pelo ar injetado na garrafa ao ser aberta.

PARA ESCOLHER

Na compra, a opção vai muito além do bom design. Fique atento para a construção e para os materiais empregados na térmica e saiba qual levar para casa:

Plásticas, com êmbolo de vidro ou de aço inox. Existem diversos tipos. Observe a qualidade das peças plásticas que as compõem. O café passará por elas e, se forem de baixa qualidade, é possível que, em contato com a bebida quente, liberem algum tipo de substância.

• O êmbolo, que pode ser trocado de acordo com o desgaste de utilização, também varia, sendo de vidro, plástico ou aço inox. O mais comum no uso doméstico é o de vidro. Especialistas recomendam, entretanto, o aço inox em primeiro lugar, a seguir o vidro e, por último, o plástico de boa qualidade.

• As garrafas que têm apresentado melhor desempenho para armazenar o café possuem malha de aço inox na parte interna. Essas chegam a gerar redução de apenas 1 ºC por hora na temperatura, além de maior durabilidade.

• Procure por marcas conhecidas no mercado. A estrutura e os materiais aplicados nestas garrafas de rótulos mais famosos passam por auditoria, certifi cando o produto.

• O sistema de botão ou alavanca, por natureza, injeta ar no interior da garrafa para que o café possa subir e sair pelo bico. Quanto melhor a construção, menos será preciso manusear para retirar uma dose. Isso ajuda a manter as características da bebida por mais tempo, não permitindo o contato com o ambiente, o que a oxida.

• No formato de torneira, a abertura se dá apenas para saída. Há uma entrada, mas pequena, para não criar pressão dentro da garrafa. Ainda assim, a oxidação acontece pela natureza do produto café. Na compra, a opção vai muito além do bom design. Fique atento para a construção e para os materiais empregados na térmica e saiba qual levar para casa:

DICAS

• O café possui um TEMPO DE VIDA ÚTIL dentro de uma garrafa, que deve ser respeitado por quem deseja apreciar todas as qualidades do grão, como sabor, corpo e aroma.

• Geralmente, equipamentos com ÊMBOLO DE VIDRO mantêm as propriedades por 1 hora, mas com perda de uma média de 10 ºC a 12 ºC de temperatura.

• No aço inox, dependendo da garrafa, A PERDA DE TEMPERATURA NA PRIMEIRA HORA É NULA. Em alguns casos de mínima perda consegue-se um bom perfil de café até 2 horas e 30 minutos. Ainda assim, aconselhase a conservação por, no máximo, 1 hora e 30 minutos.

• A DURABILIDADE DEPENDE DO MATERIAL.  Se bem utilizadas, garrafas de aço inox duram por cinco anos sem reposição de êmbolo. Térmicas de vidro chegam a um ano e, após esse período, recomenda- se trocar a parte interna.

• O armazenamento na térmica também depende do MÉTODO DE PREPARO. O ideal é café filtrado. Espresso, em geral, é para consumo imediato, perdendo propriedades de paladar se conservado na garrafa.

• ESCALDE A GARRAFA antes de colocar o café. Com o preaquecimento evita-se o choque térmico da bebida quente com o vidro ou aço gelado, o que já diminui a temperatura bruscamente.

• Limpeza é imprescindível. Fora do uso, MANTENHA O EQUIPAMENTO COM ÁGUA FILTRADA, quente ou fria, sem tampa. Assim, nenhum resíduo se acumula na garrafa. Lave com água quente, fi ltrada, sem sabor (clorada), para não interferir no gosto do café.

*Colaborou Luis Salomão, da Bunn-O-Matic

Your browser is obsolete.

Please download and install this http://www.mozilla-europe.org
or this http://www.google.ru/chrome