Mercado

Solúvel brasileiro ganha marca única para promoção mundial

Você sabia que o café solúvel surgiu em 1901? O químico japonês Satori Kako, inventou um café em pó instantâneo, vendido na Exposição Pan Americana de Nova York. Foi muito consumido durante a Segunda Guerra Mundial e chegou ao Brasil em 1953. Mas foi a partir da década de 1960, que a produção no país surgiu. Desde então, o Brasil é líder mundial de produção e exportação de café solúvel.

No primeiro semestre de 2019, as exportações brasileiras de café solúvel aumentaram em 9,6% em volume, quando comparado com o mesmo período do ano passado, totalizando o equivalente a 1.861.793 de sacas de 60 kg. A receita cambial acumulada no período foi de quase US$ 275 milhões. Os principais destinos foram Estados Unidos, Rússia, Indonésia, Japão e Argentina.

Pensando em divulgar cada vez mais ao consumidor o café solúvel, a Associação Brasileira da Indústria de Café Solúvel, ABICS, em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos, ApexBrasil, lançaram na manhã de hoje leia mais…

TEXTO Redação • FOTO Felipe Gombossy/Divulgação

Sem categoria •

Perseu Coffee House – São Paulo (SP)

Inaugurado em setembro de 2018, no edifício Santos Augusta, o Perseu Coffee House se destaca no piso térreo por sua elegância. Idealizada pelo arquiteto Isay Weinfeld, que buscou fazer uma conexão entre a arte e o design, a casa possui mobiliário vintage original dos anos 50 e 60 e obras que ficam permanentemente expostas. Além disso, recebe exposições temporárias que se renovam a cada três meses.

Administrado por Andrea Tchalian, o Perseu conta com uma carta de cafés e drinques clássicos que tornam o ambiente ideal para vários momentos do dia. Para quem gosta de prolongar a visita, a cafeteria oferece wi-fi gratuito, estacionamento local e música ambiente de artistas brasileiros. Não é cobrada taxa de serviço.

Os grãos servidos são de marca própria, cultivados em fazendas da região do Cerrado Mineiro. A cada três meses, novos lotes de locais diferentes ficam disponíveis e a torra é sempre feita por conta do pessoal da paulistana True Coffee Inc.

Do café da manhã à happy hour

Cinco métodos de extração podem ser pedidos pelos amantes da bebida: aeropress, hario v60, chemex, clever e french press. Para quem prefere o tradicional espresso, os baristas tiram de uma máquina Wega.

Para comer, algumas das opções são tostex, tapioca, crepioca, pão na chapa, omelete e sanduíches, como o Omicron, composto de uma mistura de sabores de avocado com ovo poché e molho de limão, e o Croque Perseu, um sanduíche de queijo emmental, presunto artesanal e molho bechamel.

Entre as sobremesas, o cardápio oferece brigadeiro de café, diversos sabores de bolos e naked cakes de bem casado, brigadeiro e red velvet. Um dos destaques é o bolo Perseu, feito de chocolate com um toque do café da casa e licor, mas a indicação é a combinação do espresso com o bolo de laranja com rum. Todos os pães e doces são fornecidos pela Marie Marie Bakery.

Informações sobre a Cafeteria

Endereço Alameda Santos, 2159
Bairro Cerqueira Cesar
Cidade São Paulo
Estado São Paulo
País Brasil
Website http://www.perseucoffeehouse.com.br
Telefone (11) 4420-3136
Horário de Atendimento de segunda a sexta, das 8h às 20h; sábado e domingo, das 9h às 21h
TEXTO Gabriela Kaneto • FOTO Divulgação

Barista

Evento reúne campeões brasileiros e mundiais em Campinas (SP)

Foto: Gustavo Baxter / NITRO

No Barista Day Abigail Coffee, que será realizado no dia 20 de julho, a cafeteria de Campinas (SP) receberá dez baristas campeões para um dia de troca de experiências. Além dos convidados, o evento será aberto para 15 pessoas de fora. Confira quem estará presente:

Jooyeon Jeon – Coreia do Sul – Campeã Mundial de Barista 2019
Michalis Dimitrakopoulos – Grécia – Vice-campeão Mundial de Barista 2019
Cole Torode – Canadá – 3º lugar no Mundial de Barista 2019
Mikael Jasin – Indonésia – 4º lugar no Mundial de Barista 2019
Mathieu Theis – Suiça – 6º lugar no Mundial de Barista 2019
Martha Grill – Brasil – Campeã Brasileira de Barista 2019
Jia Ning Cu – China – Campeã Mundial de Brewers 2019
Emi Fukahori – Suiça – Campeã Mundial de Brewers 2018
Alessandro Galtieri – Itália – 3º lugar no Mundial de Brewers 2019
Arthur Malaspina – Brasil – Campeão Brasileiro de Brewers 2019

Emi Fukahori no Mundial de Brewers 2018, realizado em Belo Horizonte (MG) durante a Semana Internacional do Café – Foto: Nereu Jr / NITRO

Os participantes poderão conhecer seus ídolos de perto, experimentar cafés premiados e aprender novas técnicas com eles. Aos interessados, o ingresso custa R$ 420 e todo o lucro arrecadado será doado para uma instituição beneficente.

Antes do Barista Day, os campeões irão visitar a Fazenda Daterra, onde foram cultivados os grãos usados pela barista Emi Fukahori no Mundial de Brewers 2018. Com objetivo de aproximá-los do café brasileiro, mostrando a qualidade e o potencial das lavouras, os visitantes irão conhecer as técnicas sustentáveis de cultivo e os processos de produção e processamento dos grãos.

Serviço
Barista Day Abigail Coffee
Quando: 20/7, das 13h30 às 17h
Onde: Avenida Coronel Silva Telles, 165 – Campinas (SP)
Mais informações: (19) 99305-1388

TEXTO Redação

CafezalMercado

Fórum Mundial de Produtores de Café é palco de debates difíceis sobre o futuro da cafeicultura

Realizado entre os dias 10 e 11 de julho, em Campinas (SP), no Royal Palm Plaza, o evento bianual chegou à segunda edição com muitos desafios. Depois de ser lançado na Colômbia, organizado pela Federação de Cafeicultores daquele país, o Fórum Mundial de Produtores de Café veio ao Brasil com a intenção de debater os principais desafios da cafeicultura mundial. Em um momento em que o preço do café está muito baixo, este foi o principal tema nos corredores e nas palestras. Com realidades bem distintas entre as 25 milhões de famílias que cultivam café ao redor do mundo, no chamado cinturão cafeeiro, as soluções não poderiam ser genéricas.

Por isso a missão dada ao economista Jeffrey Sachs, Diretor do Centro de Desenvolvimento Sustentável do Instituto de la Tierra da Universidade de Columbia, era bem desafiadora: criar proposições para melhorar os rendimentos dos pequenos produtores de café através de uma análise econômica e política. A conclusão dada pelo consultor foi de que “os preços de café atuais não estão distantes do equilíbrio entre oferta-demanda de longo prazo”. Sua análise foi baseada no crescimento de Brasil e Vietnã, que tiveram juntos 83% de aumento de produtividade desde 1995 enquanto outras regiões estagnaram em produtividade.

Jeffrey Sachs, Diretor do Centro de Desenvolvimento Sustentável do Instituto de la Tierra da Universidade de Columbia

Com as mudanças climáticas e o aquecimento global de 0,3 graus em dez anos, Sachs prevê que “se houver um aumento de temperatura de 2 graus celsius até 2050 será impossível produzir café. Se isso acontecer, grandes áreas serão prejudicadas. Colômbia, Índia, Malásia, Costa Rica, Madagascar e Tailândia serão os países mais afetados com a crise climática”. E chegamos ao ponto crucial da proposta de Sachs: “Quem tiver capital para fazer essa transformação é quem vai conseguir mudar. Se o aquecimento global continuar, muitos países sairão da produção.”

O grande momento esperado da apresentação de Sachs eram as soluções para a melhoria de rendimento de produtores. Eis que a proposta do consultor foi inesperada pela maioria: a sugestão de criar um Fundo Global do Café, que seria co-financiado por empresas privadas e públicas em busca de cumprir, em todas as áreas produtivas de café, com as metas leia mais…

TEXTO Por Mariana Proença, colaborou Natália Camoleze, de Campinas (SP) • FOTO Mariana Proença

Café & Preparos

[Roteiro] Lugares para tomar café em Campinas (SP)

Entre hoje e amanhã (10 e 11/7), Campinas, no interior de São Paulo, é palco de um dos eventos mais importantes do setor cafeeiro, o II Fórum Mundial de Produtores de Café. Com isso, a cidade recebe pessoas de diversas partes do Brasil e do mundo, interessadas em saber sobre temas do mercado, como a qualidade dos grãos.

Pensando neste grande fluxo de apaixonados por café, fizemos um roteiro de cafeterias e casas que servem a bebida na região. Partiu?

Foto: Felipe Gombossy

CafeTerí

A casa trabalha com variados métodos de preparo, dentre eles hario v60, prensa francesa, koar e espresso. Também há bebidas com leite, como mocha e cappuccino. Para acompanhar: broinha portuguesa, tortas e pães de fermentação natural!

Onde: Rua Irene Moretzohn, 7 – Jardim Santana – Campinas (SP)
Horário de funcionamento: segunda a sexta, das 8h às 18h; sábados, das 9h às 13h
Mais informações: www.instagram.com/cafeteri.cps

Virginia Coffee Roasters

A cafeteria torra os próprios grãos e os prepara em métodos como aeropress, prensa francesa, hario v60 e espresso. É possível pedir também bebidas feitas à base leia mais…

TEXTO Gabriela Kaneto

Mercado

Será que é possível perceber o equipamento em que é torrado o café?

Roaster Camp of Brazil 2019 respondeu essa e outras perguntas durante uma semana de curso no Centro de Qualidade do Café do IAPAR, em Londrina, Paraná

A Revista Espresso chegou ao Instituto Agronômico do Paraná (IAPAR) – um dos mais importantes centros de pesquisa de café do Brasil – em uma sexta-feira (28/6) para acompanhar o Roaster Camp of Brazil. A turma de 40 alunos participantes do curso – já entrosada – preparava cafés em máquinas de espresso e métodos de infusão. Profissionais de diferentes lugares do Brasil e internacionais trouxeram seus cafés para trocar experiências sensoriais com os colegas.

Pelo segundo ano, o evento, realizado pela Capricornio Coffees, grupo com sede em Piraju (SP), promove o encontro de torrefadores do mercado em atividades de palestras, desafios, testes técnicos, provas de café e aulas com os finalistas internacionais do Campeonato Mundial de Torra, organizado pela World Coffee Events (WCE) e também mestres de torra renomados que são convidados leia mais…

TEXTO Mariana Proença, de Londrina, Paraná • FOTO Mariana Proença/Café Editora

Mercado

ABIC anuncia novo Diretor Administrativo

Na última semana, o Presidente da Associação Brasileira da Indústria de Café (ABIC), Ricardo de Sousa Silveira, anunciou o nome contratado pelo Conselho de Administração para atuar no cargo de Diretor Administrativo da Associação.

Celírio Inácio da Silva trabalhou durante 24 anos na área comercial e administrativa da indústria de café, desenvolvendo ações junto ao grande varejo. Ainda segundo o comunicado, ele “contribuirá para o sucesso do Projeto de Modernização da ABIC, aproximando-a, cada vez mais, das necessidades dos associados, além de colaborar para o desenvolvimento de programas e projetos que conduzam ao crescimento dos negócios e valorizem o café como produto”.

TEXTO Redação • FOTO Divulgação

Barista

Brasileiro vence Mundial de Chá na China

Danny Andrade vive na Austrália desde 2008 e representa o país nas competições que participa. Apesar de sua trajetória de mais de dez anos no mercado de cafés, seu contato com o mundo dos chás foi recente, mas suficiente para o brasileiro alcançar a melhor colocação da competição mundial da bebida.

O barista, que atualmente trabalha na importadora 3Brothers Coffee, diz que se apaixonou por chá após viajar para países como Japão e China, onde conheceu a cultura da bebida. “Em 2017 eu tive a honra que conhecer a tea master Kym Cooper. Ela me introduziu para o fascinante mundo dos chás especiais, em particular para os Oolongs das montanhas de Phenix. Esses chás são excepcionais e a paixão foi instantânea”, conta, explicando que esse tipo é mais complexo do que os brancos, pretos e verdes que nós conhecemos.

Após ganhar o Australia Tea Brewers Cup no último ano, Danny conseguiu a melhor colocação no World Tea Brewers Cup 2019, competição que foi realizada em maio na SIAL, feira de alimentos que aconteceu na cidade de Xangai, na China.

Na disputa, os competidores possuem 15 minutos para apresentar duas bebidas: o chá principal e o drinque de assinatura, em que cada participante pode criar sua própria receita. As apresentações são julgadas por três juízes sensoriais e um juiz principal, que avaliam o sensorial, a técnica e o conhecimento do competidor.

Na ocasião, Danny usou três tipos de Oolongs Teas, todos de origem chinesa e produzidos pela produtora Cindy Chen, sendo um na receita do chá principal e os outros dois como parte do drinque de assinatura. Na bebida principal, o barista usou o chá da variedade Ya Shi Xiang, que possui notas florais e de damasco, alcançando uma bebida doce e intensa, que também foi proporcionada por conta do mel brasileiro usado na receita.

No drinque de assinatura, além do Ya Shi Xiang, os principais ingredientes também foram os chás das variedades Mi Lan Xiang e Ta Fuhou. O primeiro foi usado como base da receita. O segundo, mais doce e encorpado, com notas de pêssego e mel, foi utilizado na forma de chá gelado, passando pelo processo de cold brew e ficando em infusão por 6 horas. Já o terceiro, com notas de frutas vermelhas e especiarias, compôs a parte aromática do drinque, onde Danny usou óleos da casca da laranja e contou com o auxilio de um difusor ultrassônico para criar uma nuvem aromática.

O brasileiro, naturalizado na Austrália, conta que o treino para as competições é constante. Ele agradece às pessoas que estiveram ao seu lado durante todo o processo de preparo. “Ninguém vence uma competição sem um time por trás ajudando e apoiando”.

TEXTO Gabriela Kaneto • FOTO Danny Andrade

Mercado

Nescafé lança cafés para métodos coados

A Nescafé chegou ao Brasil em 1953 e neste mês, pela primeira vez, traz ao mercado o café moído para o preparo nos métodos coados, com as linhas Gold e Origens do Brasil. As novidades estão disponíveis nas versões solúvel (em vidro) e para método coado (em lata 100% reciclável).

A linha Gold conta com três blends 100% arábica, separados por intensidade. Segundo a marca são: Suave (intensidade 6), um café com notas frutadas; Equilibrado (intensidade 8), café de corpo denso; e Intenso (intensidade 9), encorpado com notas de caramelo. A linha traz ainda dois cafés solúveis liofilizados, em uma versão que ao ser preparado apresenta uma crema semelhante ao espresso.

Já a linha Origens do Brasil tem o intuito de valorizar as regiões produtoras da Chapada Diamantina (BA), São Sebastião do Paraíso (Sul de MG) e Serras do Alto Paranaíba (MG). A marca separou as características do café por região: Chapada Diamantina, de altitude média e temperatura amena, traz um café com notas de frutas amarelas. A região de São Sebastião do Paraíso apresenta notas de frutas vermelhas, típico de grãos cultivados em altas altitudes e clima montanhoso.  Já as Serras do Alto Paranaíba, com seu clima seco, apresenta um café mais intenso, com notas de caramelo e chocolate.

A Nescafé realizou um evento que uniu gastronomia e tecnologia em uma experiência que apresentava desde a plantação de café até a xícara através de diversos momentos. “Queremos transportar nossos convidados para este universo único e encantador, desde a origem do café nas fazendas, e reproduzir o caminho e sensações envolvidos até que chegue à xícara. Vamos demonstrar o nosso apoio ao cultivo com respeito e apresentar nossa linha de cafés especiais, para auxiliar o consumidor em sua relação com o café e que ele se surpreenda com cada uma das etapas”, conta Rachel Muller, diretora de cafés da Nestlé Brasil.

Até o dia 19/8 a marca estará com um estande no Shopping JK (Av. Pres. Juscelino Kubitschek, 2041 – Vila Olímpia), em São Paulo, em que é possível conferir os lançamentos.

Mais informações: www.nescafe.com.br

TEXTO Redação • FOTO Divulgação

Mercado

Illycaffè nomeia novo diretor para a América do Sul

No mês de julho, a illycaffè Sud América, filial da torrefadora italiana illycaffè no Brasil, passa a ter um novo Diretor Geral: Frederico Canepa, que há 27 anos já atuava como consultor da marca.

Frederico ajudou a illycaffè a montar e iniciar o projeto brasileiro de compra direta de produtores de café, em 1991, e gerenciou esse sistema de fornecimento no País até 2005. Ele também participou da transição de compras de representantes de terceiros para a presença brasileira diretamente no mercado continental, em 2012.

Foto: Divulgação

Frederico Canepa substitui Giuliana Solari, que comandou a promoção e o aumento do reconhecimento da marca illy no mercado brasileiro nos últimos anos. Giuliana retorna à Itália para exercer outras funções na illycaffè, em Trieste.

Curiosidades sobre a illycaffè

É uma empresa familiar italiana que foi fundada em 1933, na cidade de Trieste. A marca produz um único blend de café espresso, 100% arábica, com grãos vindos de nove países, sendo o Brasil o principal.

Em 1991, promoveu o primeiro Prêmio Ernesto Illy de Qualidade Sustentável do Café para Espresso, que direcionou leia mais…

TEXTO Redação