Receitas

Qanela Qrumble

Ingredientes
– 1 cápsula Delta Q Qanela (preparado em modo longo)
– Biscoito de canela ou maisena triturados
– 1 maçã média
– Açúcar mascavo a gosto
– Chantilly

Preparo
Corte a maçã em cubos, coloque em um refratário, cubra com açúcar mascavo e leve ao forno a 180 graus, por 5 minutos para ficar dourada. Quebre o biscoito de canela ou maizena em pedaços e coloque no copo formando uma base. Acrescente a maçã caramelizada por cima e despeje o espresso longo Delta Q Qanela. Finalize com chantilly e pedaços de bolacha.

Rende 1 porção

TEXTO Delta Q • FOTO Delta Q

Cafezal

De pai para filho, de filho para pai

A família que produziu o café vencedor do Cup of Excellence 2017 une a experiência de Osmar Nunes Júnior, cafeicultor há trinta anos, ao conhecimento acadêmico do filho, Gabriel Nunes

“Eu tomei as duas melhores decisões da minha vida no mesmo dia, 24 de novembro de 1984: resolvi plantar café e pedi a Celinha em namoro”, lembra o técnico agrícola Osmar Nunes Júnior, de 52 anos. Mal esperava ele, entre tantas outras alegrias, que as decisões resultariam no primeiro lugar do Cup of Excellence 2017 para a sua propriedade, a Fazenda Bom Jardim.

A família Nunes é original de Patrocínio (MG), o maior município brasileiro produtor de café. No entanto, há quatro décadas, o cenário da região era bem diferente. Osmar Nunes, o patriarca, era a terceira geração da família a se dedicar à pecuária, ramo com o qual o filho, Osmar Júnior, trabalhou até a chegada dos imigrantes a Minas Gerais. Os novos habitantes, vindos do sul do País, instalaram-se no Cerrado Mineiro e começaram a plantar café.

Encantado com a cultura, Juninho, como é chamado pelos antigos da cidade, desafiou os planos do pai, Osmar, e começou a plantar os primeiros pés, em 1984. Ele tinha uma fazenda de apenas 10 hectares, com produção de arábica. O solo fértil do Cerrado e o clima ameno da região mineira – com as estações de chuva e de seca bem demarcadas e coincidentes com as necessidades do ciclo do café – contribuíram para o bom desenvolvimento das plantações na região.

Juninho deixou de ser apenas filho e se tornou pai em 1989, ano em que nasceu Gabriel. Celinha sonhava com um filho médico, enquanto o marido vislumbrava para o garoto simplesmente um futuro fora da fazenda. Gabriel teve uma infância muito especial na propriedade da família, entre trilhas a cavalo, banhos de cachoeira, pescaria, guerras de lama e outras tantas brincadeiras. Contava os dias para as férias, quando podia acampar com os amigos na fazenda.

Tal avô, tal pai, tal filho

A relação de Gabriel e Juninho é, desde o início, harmoniosa. “Nós dois sempre fomos muito amigos. Meu pai era muito presente, acho que em uma tentativa de repetir comigo a relação bacana que ele teve com o meu avô. Quando passei a trabalhar com café, nós nos aproximamos ainda mais”, conta Gabriel Nunes, engenheiro agrônomo de 28 anos.

O início, no entanto, não se deu sem dificuldade. Quando Gabriel decidiu cursar Agronomia, Juninho se opôs: queria que o filho fizesse outra coisa, saísse da fazenda. “Naquela época, a agropecuária estava tão ruim que eu não queria que ele cursasse Agronomia. Mas ele fez, e hoje eu tenho o maior orgulho”, emociona-se o pai. O rapaz passou no vestibular da Universidade Federal de Viçosa (UFV) e cruzou Minas Gerais em busca de formação.

Apaixonado tanto pelo café quanto pelos bichos, Gabriel passou metade do curso em dúvida sobre estudar pecuária ou agricultura. “Como meu pai mexia com café, eu fazia disciplinas relacionadas ao assunto sempre que podia. Fui me entrosando com isso desde o início, mesmo em dúvida”, lembra o jovem. A paixão pelo solo falou mais alto e ele não tardou a intensificar as buscas pela formação específica.

“Ele dava pitaco na plantação desde a faculdade. Em todas as férias que tirava, fazia um estágio em uma fazenda diferente. Ele via os nossos erros e trazia novidades”, lembra Juninho. Sempre muito adepto a novas técnicas e tecnologias, o pai deu ao filho a possibilidade de inovar na propriedade. “É o maior prazer ver um filho tocar o negócio da família, querer aprimorar a produção”, orgulha-se Juninho.

A Revolução de 2013

Gabriel levou algumas novidades para o cafezal dos Nunes durante a graduação, mas foi quando ele se formou, em 2013, que a Fazenda Bom Jardim passou por uma verdadeira revolução em sua produção. “Quando o Gabriel voltou formado, ele quis investir em cafés especiais. Dei todo o apoio e desde 2014 a gente vem ganhando prêmios. Ele trouxe novos métodos, aumentou a qualidade do produto. Renovamos a lavoura, trocamos plantas e materiais”, descreve Juninho.

Mesmo com o rápido progresso, o primeiro lugar no Cup of Excellence foi uma surpresa. O concurso, que conta com juízes de todos os cantos do mundo e é o mais concorrido entre os cafeicultores brasileiros, premiou um bourbon amarelo, de primeira safra, que pai e filho cultivaram a 930 metros de altitude. Os Nunes não só atingiram esse bom resultado, como bateram o recorde mundial no leilão do evento: venderam cada saca de 60 quilos a R$ 55 mil.

Para Gabriel, o que fez o café vencedor foi a prova dos cafés antes da colheita oficial — fase da qual ele mesmo se encarrega, na companhia de um Q-grader. “Eu testo cada talhão para ver o potencial de cada café. Vario modos de secagem e de fermentação e vou provando um a um, pouco antes de colher. Assim, cada café vai ser colhido e vai passar pelo processo que destaca melhor suas características. É desse jeito que eu consigo um grão de alta qualidade”, ensina o engenheiro agrônomo, cujo café campeão atingiu 92 pontos.

“Vencer o concurso foi muito gratificante. A gente não esperava ficar em primeiro, quanto mais ganhar um prêmio histórico. Foi o primeiro café do Cerrado a alcançar essa marca, e o concurso já acontece há dezoito anos. Muita gente achava que a região não tinha potencial para ganhar esse prêmio, dizia que aqui é só quantidade, não qualidade”, comenta Gabriel.

A má impressão que se tem do Cerrado Mineiro é equivocada. É a única região cafeeira do País que possui Denominação de Origem, ou seja, é um território de onde sai um produto com características específicas, que não são encontradas em qualquer outro lugar. Exemplos famosos de produtos assim no mundo são o queijo Roquefort e o Champanhe.

A história da conquista da Denominação de Origem tem ligação direta com o relacionamento harmonioso, de parceria, que os produtores do Cerrado mantêm. “Temos muito orgulho da região porque demos um passo à frente em relação às outras, consideradas as pioneiras do País. O Cerrado sempre teve essa visão empresarial, e eu não tenho segredo com meus colegas. Fazemos cursos juntos, trocamos cafés, estamos prontos para crescer ainda mais”, garante Gabriel.

Construção futura

Em oposição a muitas fazendas dedicadas ao plantio de café, a propriedade da Fazenda Bom Jardim não conta com uma estrutura muito intrincada. Além das máquinas e do complexo de secagem e de fermentação, as construções do local são, por enquanto, um depósito de máquinas e uma área de criação de porcos, de onde provém parte do adubo usado na produção.

Os Nunes preferiram investir na qualidade do café antes de trabalhar a estrutura física da fazenda. O resultado é evidenciado com o recorde mundial atingido em apenas cinco anos de melhorias. Com o dinheiro que conseguiu com a venda das seis sacas do café campeão, a dupla vai investir em uma estrutura física moderna, com espaço para receber clientes, fazer provas com Q-graders e até mesmo para uma cafeteria com barista.

Para Gabriel, o próximo passo é se formar Q-grader. Ele se arrisca a fazer provas, mas quer procurar formação específica. Pai e filho se dedicam muito aos estudos sobre lavoura, produção, café. Conseguiram elaborar um sistema de escalonamento de safra, reduzindo a mudança que a bienalidade do café acarreta. “Geralmente não temos muita alteração nos números, conseguimos fazer com que a produção da safra alta tenha, no máximo, uma diferença de 40% em relação à do ano anterior”, explica Juninho.

Os pés de café que deram os grãos campeões se aproximam dos 3 metros de altura e estão carregados de frutos e promessas. Os Nunes plantam não apenas o bourbon amarelo; eles também trabalham com cultivares como  arara e catuaí. A dupla tem se arriscado inclusive a plantar geisha, que deve ter sua segunda colheita em 2020. Eles ainda não sabem quais cafés levarão para o Cup of Excellence 2018, mas não deixam dúvida quanto à sua participação na próxima edição.

(Texto originalmente publicado na edição impressa da Revista Espresso referente aos meses março, abril e maio de 2018 – única publicação brasileira especializada em café. Receba em casa. Para saber como assinar, clique aqui).

TEXTO Clara Campoli • FOTO Murilo Gharrber

Mercado

Café impulsiona o crescimento da Nestlé em 2018

A Nestlé registrou um crescimento orgânico de 3% em 2018, apoiado por uma dinâmica mais forte nos Estados Unidos e na China. O total de vendas reportadas aumentou 2,1% em relação a 2017, de CHF 89,6 bilhões (US$ 89 bilhões) para CHF 91,4 bilhões (US$ 90,8 bilhões). A empresa afirma que sua carteira de café continuou a contribuir significativamente com um crescimento sustentado.

A Nespresso manteve um crescimento orgânico de um dígito e meio, bem forte na América do Norte. Já a Nestlé teve um impulso apoiado pela forte demanda da recém-lançada linha Master Origin e pelos cafés de edição limitada mais recentes inspirados nos cafés parisienses.

O Vertuo, um sistema de café versátil com cinco tamanhos de cápsula, ganhou mais força globalmente e agora está disponível em catorze mercados em todo o mundo. A Nespresso continuou a expandir sua distribuição e presença global ao longo do ano, alcançando 792 boutiques.

“Estamos satisfeitos com nosso progresso em 2018. Todas as métricas de desempenho financeiro melhoraram significativamente e vimos um crescimento revigorado em nossos dois maiores mercados, os Estados Unidos e a China, bem como em nosso negócio de nutrição infantil. A Nestlé continua investindo no crescimento futuro e ao mesmo tempo aumentou a quantidade de dinheiro devolvido aos acionistas por meio de nosso programa de dividendos e recompra de ações”, disse Mark Schneider, CEO da Nestlé. “Fizemos um progresso significativo na transformação de nosso portfólio e aprimoramos o foco estratégico do nosso Grupo, fortalecendo as principais categorias de crescimento e geografias no processo”, completou.

Na América do Norte, a Nestlé disse que seu negócio licenciado da Starbucks foi integrado sem problemas e viu uma forte demanda por seus produtos de café. O Nescafé registrou um crescimento positivo na Europa, Oriente Médio e Norte da África, apesar dos menores preços das commodities de café e de um ambiente competitivo desafiador.

A Nestlé afirma que o crescimento robusto no sul da Ásia foi baseado no forte momento do Nescafé e outras marcas, com vários lançamentos de novos produtos. O Japão e a Oceania registraram crescimento positivo com lançamentos bem-sucedidos do Nescafé Gold e KitKat Gold na Austrália.

Foto: Carol Da Riva

“Em 2018, atualizamos nosso mecanismo de inovação, principalmente para garantir a continuidade da liderança em tecnologia e um tempo de comercialização mais curto. No espaço de comidas e bebidas que muda rapidamente, a Nestlé tem o que é preciso para realmente estimular os consumidores com inovações significativas e produtos imprescindíveis”, disse Schneider.

Segundo ele a Nestlé reafirma a liderança em sustentabilidade em um momento onde os consumidores e os reguladores em todo o mundo estão procurando cada vez mais soluções para os problemas ambientais e sociais. “Nossa ação decisiva e compromissos fortes para lidar com o problema global de resíduos de embalagens são um exemplo disso. Estamos a caminho de atingir nossas metas para 2020 e posicionar a Nestlé para um crescimento sustentado e sustentável nos próximos anos”, concluiu.

As informações são do http://gcrmag.com / Tradução Juliana Santin

Mercado

Caparaó recebe Simpósio para produtores

No começo do ano, a Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA), em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), lançou o “Programa Destaque BSCA Micro Region Showcase”.

A competição foi destinada aos nanolotes de café da espécie “Coffea arabica” produzidos no Brasil em 2018, colhidos a partir de outubro e que tenham sido cultivados nas origens produtoras das Matas de Minas, Espírito Santo ou Bahia, em qualquer altitude; nas demais áreas do cinturão cafeeiro nacional, desde que produzidos em altitudes a partir de 1.200 metros; e cujos produtores ou propriedades não tenham participado da Fase Internacional do “Cup of Excellence – Brazil 2018”.

As amostras foram analisadas por tipo, cor, aspecto, umidade, defeitos e qualidade da bebida.  Os nanolotes selecionados tiveram uma nota 88 ou mais na escala de zero a 100. Os selecionados foram:

Os lotes participarão de um leilão presencial no dia 21 de fevereiro na região do Caparaó.

Simpósio
No último sábado (16/02) a equipe do Isso é Café recebeu, no seu novo espaço no bairro da Santa Cecília (SP), alguns dos compradores internacionais para explicação do projeto e a agenda da semana que envolve visita em cafeterias; fazendas e palestras desde temas ligados ao manejo do solo até gastronomia, que ocorrerá durante o Simpósio para Produtores BSCA Micro Region Showcase Caparaó.

No vídeo abaixo, Felipe Croce, da Fazenda Ambiental Fortaleza (FAF), explica como surgiu o projeto.

A programação ocorre no Caparaó Parque Hotel (Av. Vereador Inimá Novaes de Campos, s/n, Alto Caparaó – MG). O evento é gratuito e as inscrições podem ser feitas no local do evento. Mais informações através do email eventos@bsca.com.br.

TEXTO Redação • FOTO Giulianna Iannaco

Receitas

Baccarat

Ingredientes
Pão de ló de avelã
– 3 ovos
– 62 g de açúcar
– 62 g de cacau em pó
– 75 g de avelã sem casca triturada
– 62 g de farinha de trigo
– 6 g de fermento em pó
– 25 ml de água

Ganache de chocolate amargo
– 375 g de chocolate meio amargo
– 250 ml de creme de leite fresco
– 62 g de manteiga sem sal (opcional)

Calda de café
– 125 ml de creme de leite
– 38 g açúcar
– 1/2 fava de baunilha
– 25 g de café solúvel
– 3 g de amido de milho

Preparo
Pão de ló de avelã
Bata os ovos com o açúcar até a mistura dobrar de volume. Em seguida, coloque a farinha, o cacau em pó, o fermento, a água e a avelã e misture bem. Coloque a massa em uma forma untada e leve ao forno por aproximadamente 30 minutos a 175 °C. Retire do forno e reserve.

Ganache de chocolate amargo
Derreta o chocolate e misture o creme de leite aos poucos, mexendo sempre.

Calda de café
Em uma panela, em fogo médio, coloque o creme de leite, o açúcar, a baunilha e o café. Mexa até obter um creme homogêneo. Acrescente o amido de milho aos poucos até engrossar. Espere a massa esfriar e reserve.

Montagem
Corte o pão de ló em 4 partes iguais de aproximadamente 1 cm de altura e, com ajuda da própria forma, comece a montagem intercalando os ganaches e o pão de ló. Ponha o ganache meio amargo, o pão de ló e o ganache branco, e assim sucessivamente terminando com o ganache meio amargo. Em seguida, leve o doce para a geladeira por 2 horas, desenforme e acrescente a calda de café.

Rende 6 porções

FOTO Daniel Ozana/Studio Oz • RECEITA Fabrício Gomes de Paiva

Café & Preparos

Prepare a agenda: cursos de café para este mês!

Está a fim de fazer algum curso voltado para o mercado de café? Aproveite que neste mês de fevereiro muitas cafeterias já estão com a agenda aberta! Prepare o caderno, o lápis e aguce os sentidos! Confira as dicas que nós separamos em algumas cidades!

Um Coffee Co. – São Paulo (SP)

16/02 – SCA Sensory Skills Foundation
16/02 – SCA Brewing Foundation
17/02 – SCA Roasting Foundation
17, 23 e 24/02 – SCA Barista Foundation

Onde: Rua Júlio Conceição, 553 – Bom Retiro – São Paulo (SP)
Mais informações: www.umcoffeeco.com.br

Coffee Lab – São Paulo (SP)

16, 20, 22, 23 e 27/02 – Curso de Café em Casa
16, 18, 21, 23, 25 e 28/02 – Curso de Barista Júnior
18 e 25/02 – Curso de Barista Sênior
18/02 – Curso de Métodos de Preparo Avançado
16/02 – Curso de Drinques com Café
25/02 – Curso de Torra Júnior
27/02 – Curso de Torra Sênior

Onde: Rua Fradique Coutinho, 1340 – Vila Madalena – São Paulo (SP)
Mais informações: www.coffeelab.com.br

True Coffee Inc. – São Paulo (SP)

16/02 – Análise Sensorial do Café
20/02 – Workshop Desvendando a Aeropress
23/02 – Curso de Métodos de Preparo de Café em Casa

Onde: Rua Quintana, 741 – Brooklin Paulista – São Paulo (SP)
Mais informações:
www.truecoffeeinc.com.br

Hosken Barista – Niterói (RJ)

25/02 – Treinamento Prático Básico para Baristas
25/02 – Confecção de Drinques Alcóolicos à Base de Café
27/02 – Como Melhorar o Café Caseiro

Onde: Rua Visconde do Rio Branco, 633/702 – Centro – Niterói (RJ)
Mais informações: www.luizfernandobarista.blogspot.com

Academia do Café – Belo Horizonte (MG)

16/02 – Métodos de Extração
20/02 – Análise Sensorial do Café
22/02 – Classificação e Degustação
26/02 – Barista Iniciante

Onde: Rua Grão Pará, 1024 – Funcionários – Belo Horizonte (MG)
Mais informações:
www.academiadocafe.com.br

Unique Cafés Especiais – São Lourenço (MG)

16/02 – Barista Imediato
17/02 – Curso de Latte Art

Onde: Rua Wenceslau Brás, 35 – Centro – São Lourenço (MG)
Mais informações: www.uniquecafes.com.br

4beans Coffee Co. – Curitiba (PR)

16/02 – Oficina Barista
23/02 – Oficina Cafés Filtrados

Onde: Alameda Augusto Stellfeld, 795 – loja 3 – Curitiba (PR)
Mais informações:
www.4beanscoffeeco.com.br

Lucca Cafés Especiais – Curitiba (PR)

16/02 – Brewing Fundamental
17/02 – Sensory Skills Fundamental
18/02 – Roasting Fundamental

Onde: Alameda Presidente Taunay, 40 – Curitiba (PR)
Mais informações:
www.luccacafesespeciais.com.br

Café do Mercado – Porto Alegre (RS)

22 e 26/02– Barista Prático

Onde: Avenida França, 992 – Navegantes – Porto Alegre (RS)
Mais informações: www.cafedomercado.com.br

TEXTO Redação • FOTO Lucas Albin/Agência Ophelia

Mercado

Gran Coffee expande e compra empresas nacionais

Líder em segmento de máquinas automáticas de café (vending machines) e na distribuição de máquinas Nespresso para food service, a Gran Coffee, com 21 anos de mercado, comprou mais duas empresas do setor: Diletto Café, de Brasília (DF), e Cafemaq, de Campinas (SP).

O valor das operações não foi revelado. O escritório de advocacia de Porto Alegre, Souza Berger, foi um dos participantes da operação na condução das negociações com as empresas juntamente com a Veirano Advogados. A Diletto, com 20 anos de mercado, e a Cafemaq, com 44 anos, respectivamente são empresas que atuam em soluções para comercialização e locação de equipamentos para café.

A Gran Coffee hoje atende mais de 6 mil clientes corporativos no Brasil e atua com máquinas de grupo para espresso, como as marcas Nuova Simonelli. De acordo com o site da empresa são 17 mil máquinas instaladas no País. Entre seus acionistas está um dos maiores fundos do País, o Pátria Investimentos. O fundo também é acionista da Brasil Espresso – marca que tem no portfólio os cafés Spress, Astro, Café do Centro e Danza.

TEXTO Mariana Proença

Mercado

Nestlé lança produtos com a marca Starbucks

Seis meses após formarem uma aliança mundial no segmento, a Nestlé anunciou nesta quarta-feira (13) o lançamento global de 24 produtos de café com a marca Starbucks. A empresa suíça já tinha os direitos para comercializar cafés e chás da marca norte-americana desde o ano passado, quando pagou US$ 7,15 bilhões.

“Esta aliança global trará a experiência da Starbucks para as casas de milhões de pessoas em todo o mundo com o alcance e reputação da Nestlé”, disse Kevin Johnson, presidente e diretor executivo da Starbucks.

A Nestlé acredita em um rápido avanço no mercado global de café premium. Para Mark Schneider, que está no comando mundial da companhia desde 2017, este segmento possui um crescimento rápido e margens de lucro mais elevadas do que as médias registradas pelo grupo. “Essa transação é um passo significativo para o nosso negócio de café”, disse.

Os novos produtos, que incluem café solúvel, em grãos e moídos e cápsulas Starbucks desenvolvidas com o sistema tecnológico da Nescafé e Dolce Gusto, serão lançados nos próximos dias na Ásia, Estados Unidos, Europa, América Latina e Oriente Médio, além das plataformas online.

“Estamos muito satisfeitos em ter a Starbucks como nossa parceira. As duas empresas têm verdadeira paixão pelo café e estão orgulhosas de serem reconhecidas como líderes globais por seus responsáveis. Este é um ótimo dia para os amantes do café em todo o mundo”, afirmou Schneider.

A aposta da gigante suíça são as misturas, os cafés de uma única procedência e os sabores que já fazem parte do portfólio da marca, como Caramel Macchiato e Cappuccino. Segundo o grupo, os produtos serão feitos com grãos 100% arábica cultivados por produtores de regiões de cafés especiais.

TEXTO Redação

Receitas

A gordinha que veio da Itália

Bola cremosa de queijo recheada, a burrata se torna cada vez mais desejada no Brasil, e seu sabor delicado combina com entradas e saladas para o verão. Confira 5 receitas deliciosas para aproveitá-la!

Salada com baby rúcula e burrata

Ingredientes
– 1 maço de folhas de baby rúcula (podem ser substituídas por broto de rúcula)
– 100 g de tomate-cereja cortado ao meio
– 1 burrata (200 g) em fatias
– Lascas de Prequeijo grana padano
– Azeite
– Sal
– Pimenta-do-reino moída na hora

Preparo
Faça uma caminha com as folhas de rúcula em um prato fundo, acrescente as fatias de burrata no meio, os tomates em volta delas e adicione azeite, sal e pimenta. Por último, espalhe as lascas de queijo grana padano sobre a sala e sirva.

Dica
Você pode incrementar o molho desta salada usando vinagre balsâmico “glacê” (ele é mais espesso e adocicado que os tradicionais).

Rende 2 porções

Bruschetta com burrata e presunto cru italiano

Ingredientes
– 4 fatias de pão italiano
– 1 burrata (200 g) em fatias
– 4 fatias longas e finas de presunto cru italiano (prosciutto crudo)
– Folhas grandes de manjericão
– Azeite
– Flor de sal

Preparo
Toste as fatias de pão e passe azeite em cada uma delas. Adicione o manjericão de folhas grandes (o de folhas pequenas é mais parecido com a menta), a burrata, uma pitada de flor de sal e finalize com uma fatia de presunto cru sobre elas.

Rende 4 porções

Bruschetta de burrata com pêssego salteado na manteiga

Ingredientes
– 4 fatias de pão italiano
– 1 burrata (200 g) em fatias
– 1 pêssego grande e maduro
– Ervas de provence (manjericão, louro, manjerona, alecrim e tomilho secos)
– Azeite
– Açúcar
– Flor de sal
– Pimenta-do-reino moída na hora

Preparo
Primeiro, corte com cuidado o pêssego em fatias. Depois, coloque um pouco de manteiga em uma frigideira e deixe derreter. Adicione as fatias de pêssego e frite em torno de dois minutos. Vire-as do outro lado, polvilhe com um pouco de açúcar e deixe fritar por mais um minuto. Transfira para um prato e reserve. Toste as fatias de pão na tostadeira, no forno ou em uma frigideira e, na sequência, monte a bruschetta: regue o pão com um fio de azeite, acrescente as fatias de burrata, uma pitada de flor de sal e de pimenta do reino, um punhado de ervas aromáticas e, por fim, as fatias de pêssego.

Rende 4 porções

Burrata com pesto de pistache

Ingredientes
– 4 fatias de pão italiano
– 1 burrata (200 g) em fatias
– 200 g de tomate-cereja bem maduros
– 50 g de pistaches descascados
– 1 xícara (café) de azeite
– 1 xícara (café) de queijo parmesão ralado na hora
– 1 maço de manjericão
– Flor de sal
– Pimenta-do-reino moída na hora

Preparo
Corte os tomates ao meio e acomode-os em uma assadeira com a parte das sementes virada para cima. Salpique sal e pimenta do reino e leve ao forno pré-aquecido (250ºC) por sete a 10 minutos. Enquanto isso, faça o pesto de pistache. Bata no processador o pistache, o azeite, o parmesão e o manjericão até virar uma pasta. Acrescente um pouco mais de azeite se quiser um pesto mais aveludado. Monte as bruschettas com as fatias de pão previamente tostadas: passe uma camada de pesto de pistache, acrescente a burrata, sal e pimenta do reino, os tomatinhos assados e regue com um fio de azeite.

Rende 4 porções

Salada caprese com burrata

Ingredientes
– 1 burrata (200 g) em fatias
– 1 tomate-caqui maduro e firme
– Folhas grandes de manjericão
– Azeite
– Flor de sal
– Pimenta-do-reino moída na hora

Preparo
Lave o tomate e corte-o em fatias horizontais. Monte a salada em um prato intercalando cada fatia de tomate, com as de burrata, um pouco de sal, pimenta e folhas de manjericão. Para finalizar, regue o prato com um fio generoso de azeite.

Rende 2 porções

FOTO Daniel Ozana/Studio Oz • RECEITA André Guidon

Barista

Vencedores dos Campeonatos Brasileiros de Barismo 2019!

Após três dias de competições e a participação de 50 baristas de diferentes regiões do Brasil em quatro modalidades, o resultado final foi conhecido na noite de sábado, 9/2, no Museu de Arte Moderna (MAM) do Rio de Janeiro. Foram 40 horas de apresentações com muita emoção, desafios para os baristas e, claro, café!

Os campeões de cada disputa representarão o Brasil nas competições internacionais. Os Campeonatos Mundiais de Barista e Brewers Cup acontecerão entre os dias 11 e 14 de abril, em Boston, Massachusetts, nos Estados Unidos, durante a SCA Expo. Já os Mundiais de Latte Art e Coffee in Good Spirits ocorrerão de 8 a 10 de junho, em Berlim, na Alemanha, durante a World of Coffee.

Resultado Final Latte Art

1° lugar Leonardo Correa Ribeiro – Unique Cafés – Carmo de Minas (MG) – @leounique97
2° João Michalski
 – Café du Coin – Cascavel (PR) – @joaomichalski
3° Emerson Nascimento – Coffee Five – Rio de Janeiro (RJ) – @emersonbarista1
4° George Leonardo de Mesquita – Folie à Deux Café e Bistrô – Nova Iguaçu (RJ) – @g_leonardo_mesquita
5° Nickole Joanny Araújo – Fazenda Recanto – Machado (MG) – @nickolejoanny

Resultado Final Coffee in Good Spirits

1° lugar Gabriel Guimarães – Unique Cafés – São Lourenço (MG) – @gabriel00coffee
2° Juliano Lamur 
– Bunker Motor Coffee – Curitiba (PR) – @julianolamur
3° Daniel Camara Viana 
– Ristretto Café Bar – Brasília (DF) – @danielbarista
4° Pedro Paulo Foster
 – Curto Café – Rio de Janeiro (RJ) – @ppfoster
5° Emerson Nascimento
 – Coffee Five – Rio de Janeiro (RJ) – @emersonbarista1
6° Bruno Couto Roque – Café Couto – Niterói (RJ) – @cafecouto

Resultado Final Brewers Cup

1° lugar Arthur Malaspina – Octavio Café – Pedregulho (SP) – @arthurmalaspina
2° Leo Moço
 – Café do Moço – Curitiba (PR) – @barista.leomoco
3° Midori Martins – Um Coffee Co. – São Paulo (SP) – @midorimartins
4° Jéssica Maciel de Oliveira – Café du Coin – Cascavel (PR) – @jessmacciel
 Analice Pereira – Como em Casa – Manaus (AM) – @analicepereira
6° Priscila Batista de Pinho – COMCOFFEE – Curitiba (PR) – @coffeebreak_p
7° Rafael Pereira Mendes
 – Autônomo – Franca (SP) – @rafagnomo

Resultado Final Barista

1° lugar Martha Grill – Octavio Café – São Paulo (SP) – @marthagrill
2° Leo Moço – Café do Moço – Curitiba (PR) – @barista.leomoco
3° Daniel Munari – 
Fazenda Barinas/ Supernova Coffee Roasters – Curitiba (PR) – @dnmunari
4° Thiago Sabino – Sensory Coffee Roasters – São Paulo (SP) – @thiagosabino.barista
5° George Charles Gepp – Borsoi Café Clube – Recife (PE) – @georgegeppbarista
6° Vitor Haubert – Rause Café e Vinho – Curitiba (PR) – @haubertvitor

Os Campeonatos Brasileiros de Barismo são realizados pela Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA) e Apex-Brasil. O patrocínio é por conta da GrandCoffee, Orfeu Cafés Especiais e CooperRita. Já o apoio é da BUNN, Pasquali Máquinas, Oficina do Espresso, Tekno Coffee. A Revista Espresso é a mídia oficial.